Camila Salmazi e Carolina Fernandes – Atitudes pela educação

O movimento Todos pela Educação atua pela articulação e criação de políticas públicas que assegurem o direito à educação básica de qualidade a todos. Com o objetivo de envolver a sociedade brasileira na busca por melhores condições nas escolas do país, o movimento fez, em 2013, uma pesquisa para descobrir o que os pais e mães que participavam ativamente da vida escolar de seus filhos estavam fazendo e qual a impressão dos professores em relação aos pais que não participavam.

A partir dos dados apurados, o movimento criou propostas simples e dinâmicas, que apresentam possibilidades para que todos possam contribuir com a aprendizagem de crianças, adolescentes e jovens. Denominada 5 Atitudes, a campanha procura “valorizar os professores, a aprendizagem e o conhecimento; promover as habilidades importantes para a vida e para a escola; colocar a educação escolar no dia a dia; apoiar o projeto de vida e o protagonismo dos alunos; e ampliar o repertório cultural e esportivo das crianças e dos jovens”.

A gerente de comunicação do Todos pela Educação, Camila Salmazi, e a coordenadora de campanhas e eventos, Carolina Fernandes, participaram da última Oficina de Mobilizadores e Consultores do Parceria Votorantim pela Educação, realizada em São Paulo, no dia 14 de agosto, e falaram sobre as cinco atitudes, as parcerias e os desafios. Para melhor entender como cada pessoa pode colaborar com a mobilização, o Blog Educação conversou com as representantes do movimento. Confira!

Blog Educação – Qual é a contribuição das 5 Atitudes para que os pais entendam melhor a importância da participação no ambiente escolar?
Camila Salmazi – A ideia é que, a partir da disponibilização da informação, seja possível garantir o engajamento e a mobilização das pessoas e que, dessa forma, elas entendam que esse movimento acontece da escola para a casa e da casa para a escola. O sucesso das 5 Atitudes está, justamente, na formação da rede de parceiros que podem levar os conceitos de educação de maneira integral para quem atua na ponta.
Carolina Fernandes  Além disso, passando informações sobre o tema, fazemos com que os pais se interessem, gerem essa demanda, porque mostramos que eles precisam ir atrás e ser parte disso. Muitos pais não sabem que podem, por exemplo, bater na porta da escola para conversar com o professor e o diretor. Eles precisam entender isso e participar mesmo.

Blog Educação – Vocês poderiam resumir as 5 Atitudes em um objetivo principal?
Carolina – O foco é sempre o aprendizado do aluno para que ele possa aprender cada vez mais.
Camila – E que o aluno possa aprender para a sua formação cidadã, seja para seguir em uma universidade ou no mercado de trabalho; que ele tenha essa possibilidade de escolher, não pensando apenas na entrada no mercado de trabalho, mas em alguma coisa mais plena.

Blog Educação – Como vocês analisam a importância da aproximação da sociedade com a área da Educação?
Camila – Educação é um tema relativamente novo entre as prioridades do povo brasileiro e, nesse sentido, surge a importância de um diálogo mais aberto sobre o que é a educação de qualidade. O diálogo é imprescindível para que consigamos trazer a educação para o dia a dia e torná-la uma grande prioridade nacional. Como, para muitas famílias, talvez esta seja a primeira geração que está tendo contato com a escola, tudo isso ainda não é bem entendido ou compreendido e, por isso, não é tão valorizado. Hoje, valorizamos a vaga. Se a criança está na escola, os pais pensam: “poxa, que felicidade, meu filho tem uma vaga”. Mas, na verdade, a criança tem direito a ter uma vaga, a aprender ano a ano e a cumprir a escola na idade correta. É preciso entender que o direito [à educação] não é só ao acesso, tem o direito à qualidade, ao usufruto de infraestrutura adequada com professores formados e atualizados.

Blog Educação – E de que forma a abertura de espaços para debates, nos meios de comunicação, contribui para a melhor qualidade da educação?
Camila – Quanto mais aumenta a demanda por qualidade na educação, mais as pessoas buscam novas maneiras de fazer e informações sobre como podem fazer. O interesse acompanha o fomento de novos espaços para as pessoas discutirem educação fora dos gabinetes e dos grandes veículos. Hoje, a pessoa tem o poder de levantar uma discussão em uma rede social, por exemplo, e pode ter gente do Brasil e do mundo inteiro respondendo.
Carolina – As pessoas querem conversar, querem contar, se a gente conseguir influenciar para que essa conversa seja sobre educação, mostrando o resultado que isso vai gerar, será possível aproveitar esse momento.

Blog Educação – Neste sentido, é possível afirmar que existe sinergia entre o Todos pela Educação e o projeto Parceria Votorantim pela Educação?
Camila – O Parceria Votorantim pela Educação tem muito a ver com as ideias, metas e bandeiras do Todos pela Educação e a parceria é importante para que a gente consiga chegar até as pessoas. O Todos pela Educação cria materiais, mas isso não adianta se não chegarmos até as pessoas. Então, uma parceria como essa é imprescindível para que as informações cheguem até as pessoas e elas realmente se engajem na questão da educação.

Blog Educação – As 5 Atitudes reforçam o impacto positivo do diálogo entre pais e filhos. Como as ações do cotidiano podem fazer a diferença na aprendizagem das crianças e dos adolescentes?
Carolina – Quando fizemos o estudo para chegar às 5 Atitudes, percebemos que uma das principais dificuldades dos pais era conversar com os filhos, entendê-los, e saber o que está acontecendo em um sentido amplo. Como acreditamos que a educação deve fazer parte da vida das pessoas, já dentro da ideia de educação integral, as crianças, os jovens e os adultos podem aprender em todo e qualquer lugar. A aprendizagem está em todos os lugares e não tem porque existir uma separação entre vida e escola. Pensando nisso, percebemos que os pais querem ajudar, mas eles não sabem como e, muitas vezes, não têm a percepção de que as pequenas coisas do dia a dia, como levar os filhos na escola, participar da reunião de pais ou ajudar na lição de casa, fazem diferença. Os pais precisam ter informações para saber que é fácil começar ou dar continuidade ao que já é feito. Claro que existem pais que realizam suas ações, mas, nem sempre, eles sabem que é preciso uma rotina. O que nós queremos é mudar o hábito de uma sociedade.

Pamella Indaiá/ Blog Educação 

Publicado em Entrevistas, mobilização Marcado com: , ,

Comentários

Facebook

Twitter

O conteúdo da página "Camila Salmazi e Carolina Fernandes – Atitudes pela educação | Blog Educação", disponibilizado no website Blog Educação está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.