CTE 2015 – Experiências de vida no ensino-aprendizagem

logo-PVE300x300Tomando o tema Grandes atitudes pela educação como ponto de partida, os alunos da Educação para Jovens e Adultos – EJA que participam do Concurso Tempos de Escola – CTE 2015 têm pela frente o desafio de escrever relatos sobre experiências de vida que contribuíram para sua aprendizagem. Iniciativa do programa Parceria Votorantim pela Educação – PVE, o concurso visa incentivar a escrita e a reflexão sobre o valor da educação para o desenvolvimento pessoal e da sociedade entre alunos e professores do Ensino Fundamental, do Ensino Médio e da EJA.

O tema geral do concurso neste ano remete à campanha 5 Atitudes pela Educação, promovida pelo movimento Todos pela Educação. Participam do concurso alunos das redes públicas dos municípios onde atua o PVE, divididos em categorias de acordo com sua idade e etapa educacional. Para os alunos da EJA, que participam na Categoria 4, a proposta de redação pede um relato autobiográfico – texto narrativo em primeira pessoa – sobre experiências de vida que de alguma forma incentivaram sua aprendizagem.

Para a professora Vera Maria Nigro de Souza Placco, Doutora em Psicologia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP, o exercício do texto escrito é importante para a formação da cognição do aluno. “O texto escrito, além de organizar o pensamento, possibilita a metacognição, isto é, que o sujeito pense em como expressar sua experiência e seus sentimentos, o que o obriga a pensar sobre seu pensar e sentir. Isso possibilita, assim, seu desenvolvimento cognitivo e mesmo afetivo”, explica.

Ao escrever sobre uma experiência de vida que impactou seu aprendizado, o aluno da EJA estará refletindo sobre um importante mecanismo dos processo de ensino e aprendizagem. “No meu entendimento, a aprendizagem ocorre quando o sujeito relaciona o conteúdo a ser aprendido a si mesmo – e, portanto, às sua experiências. Só mudamos – e isto implica em aprender – se aquilo a ser aprendido nos afeta de alguma forma, nos provoca a relacionar esse conteúdo aos outros conhecimentos já acumulados e organizados por nós. E esse relacionamento transforma o conhecimento anterior e o novo”, afirma Placco.

A professora Natália Gaubeur Rosinholi, que leciona no programa Alfabetização e Educação para Jovens e Adultos – AEJA-Mack, do Instituto Presbiteriano Mackenzie, destaca que é a relação entre processos de ensino e aprendizagem e a vivência do aluno que despertará o interesse pelas disciplinas em sala de aula e que dará sentido aos conteúdos estudados. “Quando o professor se baseia na vivência dos alunos para abordar tais processos, possibilita que seus alunos percebam o quanto o que estão aprendendo na escola pode melhorar suas atividades também fora dela ou, ainda, como já aplicam estes conteúdos no dia a dia”, observa.

Para os alunos da EJA, a importância de exercitar o texto escrito está diretamente ligada, segundo Rosinholi, não apenas à expansão de vocabulário e à compreensão da construção da língua e de seus mecanismos de comunicação, mas também à execução de tarefas cotidianas. “Ao se relacionarem com o texto escrito, os alunos desenvolvem a habilidade de resolver tarefas de maneira muito mais clara e eficaz. Isto ocorre por que o exercício de ler e escrever melhora a capacidade de organizar os pensamentos de forma mais coesa. Tal melhora pode ser facilmente notada tanto pelo desempenho do aluno nas aulas das demais disciplinas, quanto por relatos que abordam suas atividades realizadas além do espaço escolar”, explica a especialista.

Aos professores orientadores dos alunos da EJA, Rosinholi recomenda estar atento ao tempo necessário para a maturidade textual. “Quando ocorre uma proposta de redação é preciso trabalhar pacientemente cada etapa de produção, o rascunho, muitos outros “rascunhos”, o texto final, a revisão etc. É muito comum o aluno já adulto apresentar um bloqueio para a produção de texto, por simples falta de treino. Quando o indivíduo se depara com o momento de “colocar as ideias no papel” é necessário muita orientação, encorajamento e tempo adequado em sala de aula”, destaca. Além disso, segundo a especialista, outra característica que demanda especial atenção é o contexto real em que os alunos estão inseridos fora do ambiente escolar. “Por mais heterogêneas que sejam suas experiências, as propostas de produção textual têm que estar diretamente relacionadas aos assuntos vivenciados no cotidiano destes discentes, ou seja, que abranjam seus interesses”, recomenda Rosinholi.

Aos alunos, a especialista recomenda que busquem sempre ampliar seus repertórios, em especial por meio da leitura de textos escritos. “A leitura é a maneira mais prazerosa de desenvolver as habilidades escritas. Enquanto lê, além de ampliar seu repertório, o aluno está exercitando todos os elementos da construção textual. Isto é, por meio de uma atividade de laser, pode-se aprender a usar termos morfológicos, sintáticos etc”, afirma.

Como participar do Concurso Tempos de Escola

Os alunos da EJA que participam do CTE 2015 produzirão um relato sobre suas histórias de vida contando como certas experiências influenciaram a aprendizagem dentro da escola. Esse tipo de relato, de caráter autobiográfico, desenvolve-se melhor, em geral, quando escrito em primeira pessoa. Deve-se observar o uso da norma padrão da língua e a estrutura do texto narrativo, com começo, meio e fim.

relatos - EJA

No Guia de Orientações para Educadores, disponível para download por este link, professores, coordenadores e gestores escolares poderão encontrar orientações específicas sobre como planejar e realizar atividades de produção e de revisão dos textos dos alunos. Confira também esclarecimentos sobre as dúvidas mais comuns dos participantes do concurso nesta matéria do Blog Educação.

O regulamento completo do Concurso Tempos de Escola 2015 pode ser acessado por meio deste link e as inscrições devem ser feitas por esta página. O período de inscrições vai até o dia 17 de julho e, em caso de dúvidas, basta escrever paracontato@blogeducacao.org.br.

Bernardo Vianna / Blog Educação

Publicado em Concurso Tempos de Escola, Edição 2015, Notícias, Premiações Marcado com: ,

Comentários

Facebook

Twitter

O conteúdo da página "CTE 2015 – Experiências de vida no ensino-aprendizagem | Blog Educação", disponibilizado no website Blog Educação está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.